Mulher é assassinada com martelo de bife em apartamento de luxo. Suspeito se mata

252

Uma mulher, identificada como Fátima Lisboa, 31 anos, foi encontrada morta em um apartamento de um condomínio de classe alta do Núcleo Bandeirante, no Distrito Federal na manhã desta terça-feira (21/01/2020). O caso é tratado como feminicídio.

Testemunhas contaram que a vítima estava em processo de separação. O atual companheiro, Atevaldo Sobral Santos, foi encontrado morto no Riacho Fundo. Suspeito do crime, ele teria se enforcado, por volta das 19h de segunda-feira (20/01/2020), mesmo dia do crime.

A mulher estava caída ao lado da mesa de jantar da copa. Amigos entraram no apartamento ao ficarem preocupados, pois Fátima não atendia as ligações telefônicas nem abria a porta da residência de segunda para terça-feira.

O corpo da vítima foi achado no Edifício Tupi, na Avenida do Contorno da região administrativa. A 11ª Delegacia de Polícia (Núcleo Bandeirante) investiga a morte. A mulher teria sido assassinada com um martelo de bater carne, informação ainda não confirmada pela PCDF.

Em seu perfil no Facebook, Fátima se identificava como empreendedora na empresa Ltbijoias. Pessoas próximas disseram que ela trabalhava como autônoma.

A vítima tinha três filhos, sendo duas meninas de 10 e 14 anos, do casamento com o empresário Anderson da Silva Santos, 40. “Ficamos juntos por uns quatro anos. Ela era uma pessoa explosiva”, disse o ex-marido, que estava no prédio onde ocorreu o crime na manhã desta terça-feira.

De acordo com o delegado Bernardo de Melo, da 11ª DP, está confirmada a morte violenta. O investigador não deu detalhe sobre o feminicídio. “Vamos seguir o mesmo protocolo do caso da Candangolândia. Estamos apurando tudo para saber as circunstâncias do crime”, pontua.

Segundo o policial, o assassinato ocorreu entre 11h e 13h de segunda-feira (20/01/2020), mas como os vizinhos ainda não foram ouvidos, não dá para saber se houve discussão antes. “Os moradores estão prestando os esclarecimentos. É muito cedo para dizermos algo”, explica.