Casa de Cultura Ivan Marrocos expõe obras de acadêmicos, artistas locais e internacionais

10
Visitantes apreciam a exposição na Casa de Cultura Ivan Marrocos

Mais de 20 artistas entre autodidatas, amadores e acadêmicos do curso de Ciências Visuais da Universidade Federal de Rondônia (Unir) estão com obras expostas na Casa de Cultura Ivan Marrocos. Ao todo são quase 60 obras entre pinturas, objetos, instalações e obras audiovisuais. A exposição é aberta ao público e vai até o dia 11 deste mês

Sofia Furtado com 91 anos de idade esbanja talento em suas obras

Segundo Pritana Morgado, docente do curso, a exposição nasceu a partir da disciplina Teoria e Reflexões: Linguagens contemporâneas, onde os alunos, com base em experiências pessoais escolheram qual linguagem artística (pintura, desenho, escultura, instalação) iriam abordar.  “A ideia aqui é que eles entendam o processo criativo, como os artistas pensam e criam as obras. Para que, dessa forma, quando eles estiverem em sala de aula consigam passar para os alunos mais do que teoria, e sim a experiência de ser artista e como criar um objeto artístico”.

Poliana Espíndola é acadêmica do 6º período e escolheu abordar a linguagem audiovisual com o tema “Tempo Passado”. Segundo ela a exposição para o público é de grande importância, pois valoriza o trabalho do artista, além de gerar uma identidade com aquele que contempla a obra. “Tudo se faz muito na prática. O meu vídeo trabalha com essa questão de tempo, com o olhar contemporâneo de que tudo está mudando o tempo todo, abordando as percepções do próximo, por isso é importante a visão do outro sobre minha obra”.

Sofia Furtado tem 91 anos de idade e esbanja talento e vitalidade. Ela diz ser apaixonada pelas cores frias, como o azul e o verde, e fez questão de expor isso nas 13 obras artísticas. “Eu comecei a pintar com 70 anos de idade, e busquei aqui mostrar coisas que mais gosto como flores e paisagens. A pintura é uma terapia e todos deveriam um dia experimentar”.

 

Frandy explicando o significado das obras inspiradas no Haiti

Entre as obras, a do artista haitiano Germinal Frandy chamam a atenção por retratar com riquezas de detalhes cenas do cotidiano no Haiti. Frandy explica que buscou passar um pouco da saudade que sente do país nas telas, explorando a variedade de cores. “É a minha primeira exposição artística aqui no Brasil. E eu quis mostrar como vivem as pessoas da minha terra, as feiras que são comuns, as paisagens, tudo o que representa o meu país”.

No local, os artistas também estão oferecendo oficinas de forma gratuita.  A Casa de Cultura Ivan Marrocos está localizada na Avenida Carlos Gomes em frente a praça das Três Caixas d’Água, bairro caiari, em Porto Velho.


Secom – Governo de Rondônia