Fapero apoia a primeira patente de fármaco anti-leishmaniose e dispõe de R$ 1,4 milhão para pesquisas em saúde pública

26
Desde 2013 a equipe do pós-doutor Roberto Nicolete avalia a eficácia e efeitos toxicológicos da crotamina isolada da cascavel.

A Fundação de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa do Estado de Rondônia (Fapero) obteve R$ 1,4 milhão que serão aplicados em custeio e investimentos no Programa de Pesquisas para o Sistema Único de Saúde (PPSUS) durante 2019.

“Hoje, 30 pesquisadores podem trabalhar suas descobertas essenciais ao desenvolvimento social de Rondônia. A tríade, ciência, tecnologia e inovação, caminha unida para o bem da sociedade”, disse hoje (26) o diretor científico da Fapero, Andreimar Martins Soares.

O Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) reconheceram o bom funcionamento da primeira fase do programa que teve três edições desde 2013.

Em meados de 2017, concluída pesquisa na área de Saúde, Rondônia, ainda carente no setor, pediu e obteve o patenteamento de um fármaco anti-leishmaniose obtido da serpente Crotalus durissus terrificus [espécie de cascavel que também habita a região amazônica]. Fomentado pelo Fapero, esse trabalho foi desenvolvido pela equipe do pós-doutor em Biociências Aplicadas à Farmácia, Roberto Nicolete, da Fundação Oswaldo Cruz-RO.

“Se tivermos a ciência consolidada, com ela também se consolida o sistema educacional, do Ensino Fundamental ao Ensino Superior”, considerou o diretor científico da Fapero, Andreimar Soares.

Os R$ 1,4 milhão atendem a duas chamadas: uma de R$ 1 milhão, outra de R$ 400 mil. A primeira já contemplou, por exemplo, a aquisição de um termociclador (PCR), aparelho de laboratório mais utilizado para amplificar segmentos de DNA através da reação em cadeia da polimerase.

De 11 propostas recomendadas, nove são para contratação e duas estão na suplência. O resultado do julgamento do PPSUS na 1ª chamada aprovou os seguintes trabalhos de profissionais da saúde:

CATEGORIA A

  • Identificação clínica e laboratorial das principais arboviroses circulantes em Porto Velho {Alcione de Oliveira Santos, Fiocruz-RO].
  • Tratamento de envenenamento por serpentes: implementação de terapias coadjuvantes à soroterapia convencional, utilizando fotobiomodulação (LED) e nanocorpos [Juliana Pavan, Fiocruz-RO].
  • Resistência aos antimicrobianos de isolados de Acinetobacter Spp E da Família Enterobacteriaceae: identificação e mapeamento do perfil dos genes codificadores de Esbl, Carbapenemases e Metalo-B-Lactamases [Kátia Fernanda Alves Moreira, Unir],
  • Estruturas de Governança para mitigação de conflitos e judicialização no SUS em municípios de Rondônia [Osmar Siena, Unir].
  • Aspectos epidemiológicos como proposição de vigilância e controle da Leishmaniose tegumentar em municípios do Estado de Rondônia

CATEGORIA B

  • Reposicionamento de fármacos antimaláricos e estudo de combinações in vitro e in vivo sobre Leishmania spp [Daniel Sol Sol de Medeiros].
  • Estudo de associação entre a contaminação por metilmercúrio e tumores cerebrais [Jonathan de Sousa Pereira, Unir].
  • Vigilância febril indireta utilizando o vetor Culicoides (Ceratopogonidae): primeira investigação para febre Oropouche no Estado de Rondônia [Luís Paulo Costa de Carvalho, Fiocruz-RO].

Na lista final de não classificadas por nota, porém suplentes:

  • Produção de insumos biotecnológicos baseados em nanocorpos de camelídeos para desenvolvimento de ensaios imunoenzimáticos para detecção da Hepatite Delta [Soraya dos Santos Pereira, Fiocruz-RO].
  • Infecções relacionadas à assistência à saúde no Estado de Rondônia: incidência e fatores associados [Unir].

Equipe da Fiocruz-RO é vitoriosa com
 o patenteamento de fármaco contra
 leishmaniose

De 32 propostas submetidas à 2ª chamada (003/2016) foram contempladas 22, ou seja, a maioria:

  • Desenvolvimento de insumos biotecnológicos com vistas ao incremento da soroterapia e à construção de dispositivos de diagnósticos para o envenenamento ofídico [Carla Freire Celedônio Fernandes. Fiocruz].
  • Caracterização fenotípica e genotípica em isolados de M. abscessos oriundos de portadores desse patógeno no Estado de Rondônia [Cleoni Alves Mendes de Lima, Lacen-Sesau].
  • Avaliação da qualidade da estratégia Saúde da Família e do programa Mais Médicos no município de Porto Velho, sob a ótica do profissional médico [Marcuce Antônio Miranda dos Santos, Uniron].
  • Prevalência da colonização por estreptococo do grupo B em gestantes do município de Porto Velho [Roger Lafontaine Mesquita Taborda, Sesau].
  • Avaliação da atenção à saúde da criança em Porto Velho [Jeane Lúcia Gadelha Freitas, Unir].
  • Olhares diversos sobre atendimento à saúde da mulher indígena em Porto Velho [Gicele Sucupira Fernandes, Unir].
  • Vigilância do perfil de sensibilidade in vitro de Plasmodium sp. a fármacos de referência e estudo de drogas com potencial antimalárico contra cepas circulantes em Rondônia [Carolina Bioni Garcia Teles, Fiocruz-RO].
  • Determinação da sensibilidade de detecção de DNA de Leishmania sp em amostras de soro de pacientes com leishmaniose visando a possível implementação de detecção molecular no sistema NAT da Hemorrede do SUS [Gabriel Eduardo Melim Ferreira, Fiocruz].
  • Avaliação da contaminação de leite e pescados por resíduos de agrotóxicos e medicamentos veterinários produzidos na microrregião de Cacoal-Rondônia: saúde, trabalho e meio ambiente [Sandro de Vargas Schons, Unir].
  • Projeto de intervenção: empoderamento dos trabalhadores: estratégia Saúde da Família em educação permanente [Simone Mendes Lima, Fiocruz].
  • Identificação de mutações primárias de resistência contra antivirais utilizados no tratamento da hepatite B crônica [Alcione de Oliveira dos Santos, Fiocruz].
  • Prospecção e avaliação do potencial inibitório de biomoléculas da biodiversidade amazônica contra alvos enzimáticos validados para desenvolvimento de novas terapias contra malária [Fernando Berton Zanchi, Fiocruz].
  • Estudo da associação entre a infecção por arbovírus e a síndrome de Guillain-Barré no Estado de Rondônia [Maryela de Oliveira Menacho, Uniron].
  • Avaliação da resistência aos antimicrobianos de bactérias patogênicas isoladas dos efluentes hospitalares da região de Porto Velho [Najla Benevides Matos, Fiocruz].
  • Atenção Básica e neoplasias cutâneas não melanoma: um estudo muldisciplinar [Vivian Susi de Assis Canizares, Unir].
  • A importância da epidemiologia em saúde bucal para o planejamento em gestão do SUS [Davi da Silva Barbirato, Unir].
  • Impactos do desenvolvimento regional na saúde de uma população ribeirinha da Amazônia [Olakson Pinto Pedrosa, Ifro].
  • Previdência e caracterização molecular das hepatites C, C e Delta em população indígena do Estado de Rondônia, Amazônia Ocidental, Brasil [Deusilene Souza Vieira da Llacqua, Fiocruz].
  • Estimativas de infecção e transmissão do arbovírus por mosquitos sinantrópicos de Porto Velho, Rondônia [Genimar Rebouças Julião, Fiocruz].
  • Screening mutacional e espectro clínico de pacientes com suspeita de doenças neurodegenerativas raras (DNRS) e seus aspectos psicossociais na Amazônia Ocidental, Brasil [José Juliano Cedaro, Unir].
  • A utilização de sistemas alagados construídos – wetlands para o tratamento de efluentes com vistas à promoção do saneamento ambiental em pequenas e médias comunidades [Thiago Emanuel Possmoser Figueiredo Nascimento, Unesc].
  • Estudo fenotípico e genotípico de enteropatógenos isolados de análises coproscópicas de indivíduos infectados pelo HIV/AIDS no município de Porto Velho [Flávia Serrano Batista, Sesau].

EQUIPE TEM EXPERIÊNCIA CONTRA DOENÇAS NEGLIGENCIADAS

Andreimar Soares, diretor científico da Fapero: maioria das propostas contempladas

Foram seis anos de espera. Desde 2013 a equipe do pós-doutor Roberto Nicolete avalia a eficácia e efeitos toxicológicos da crotamina isolada da cascavel.

Estudos in vitro possibilitaram combinações de droga, citotoxidade dos tratamentos sobre células, e as duas combinações mais eficazes de cada droga foram avaliadas acerca da inibição do crescimento de amastigotas, produção de NO [óxido nítrico] por reação de Griess e diferentes citocinas por ELISA [do inglês Enzyme Linked ImmunonoSorbent Assay).

Segundo Nicolete, os tratamentos foram feitos por oito dias alternados com os controles e combinações de drogas com CTA. A massa e tamanho da pata infectada foi monitorada diariamente.

Após 48 h do fim do tratamento os animais foram eutanasiados para a retirada de sangue, tecido da pata, linfonodo, rins, fígado e baço para posteriores experimentos. O sangue foi centrifugado e o soro separado para análise bioquímica e imunológica.

In vivo, a combinação das drogas com CTA mostrou-se mais eficaz que as drogas sozinhas na contagem de parasitos nos tecidos, revelou o estudo. A medida das massas dos órgãos não sugerem megalias [aumento ou desenvolvimento anormal de um órgão ou parte dele], no entanto, a bioquímica do soro dos animais demonstra aumento de enzimas hepáticas e musculares sem apresentar toxidade.

“A associação da crotamina mostra-se um promissor caminho para tratamentos antileishmania”, considerou Nicolete.

A equipe de pesquisadores tem experiência na área de Biotecnologia e doenças negligenciadas pela Fiocruz-RO: Roberto Nicolete (Fiocruz-RO e Ceará), Andreimar Martins Soares (Fiocruz-RO), Leonardo de Azevedo Calderon (Fiocruz-RO e Universidade Federal de Rondônia). Um aluno de Doutorado da Rede Bionorte, também bolsista da Fapero integra a equipe.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia