Cirurgias de Lábio Leporino começam a ser realizadas toda semana em Rondônia

23
Cirurgias começam ser feitas toda semana

Cirurgias que antigamente eram feitas fora do Estado, em Bauru (SP), e depois começaram a ser realizadas uma vez por ano em Porto Velho, através da Operação Sorriso, no mês de dezembro, agora estão sendo feitas toda semana no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro em Porto Velho. Crianças que nascem com má formação decorrente da não junção entre a parte esquerda do lábio, conhecido como lábio leporino não precisam mais se deslocar para iniciar o tratamento.

Desde fevereiro deste ano, que a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) tem colocado em prática estratégias para que essas crianças permaneçam na capital, fazendo o tratamento sem que tenham que se deslocar para outro estado via TFD (Tratamento Fora de Domicilio). A primeira medida foi montar um Núcleo para acolher essas crianças e mães para a realização dessas cirurgias na Capital, uma equipe multidisciplinar foi montada para a realização dessas cirurgias menos complexas e no final do ano a equipe da Operação Sorriso fará as mais complexas caso haja necessidade.

Em 2014 a Operação Sorriso começou a vir em Porto Velho uma vez por ano, em dezembro, fazendo um mutirão, para tentar amenizar o sofrimento dessas crianças e familiares a convite de uma enfermeira da Capital rondoniense, que identificou na região uma grande carência de especialistas em fissura lábio palatina e uma demanda reprimida.

ESTRATÉGIA – Secretário anuncia mais novo serviço para população

“Fazer essas cirurgias em Porto Velho é muito melhor, antes essas mães tinham que ir até Bauru, em São Paulo, com bastantes dificuldades, ou então esperar a Operação Sorriso no final do ano para fazer o primeiro procedimento, agora essas cirurgias estão sendo feitas continuamente, no Hospital de Base, por uma equipe de cirurgiões altamente qualificados, além de outros profissionais, e temos que nos atentar que existe um tempo ideal para que se faça essa correção, como a equipe da operação sorriso vem só em dezembro, as crianças que nascem em janeiro, fevereiro, tinham que esperar quase o ano inteiro, e isso é ruim, porque as vezes perde o tempo ideal, podendo deixar a criança sequelada. Agora estamos operando o ano todo, fazendo aproximadamente 12 a 13 cirurgias por mês”, ressaltou o secretário da Sesau, Fernando Máximo.

E com objetivo de preparar ainda mais os profissionais da saúde, como médicos, enfermeiros, nutricionista, fonoaudiólogo, entre outros, a Sesau, em parceria com a Operação Sorriso, realizou um treinamento, capacitando e orientando os servidores e voluntários sobre Fissura Lábio palatina e Sequencia de Pierre Robbin para maiores cuidados inicial, administração alimentar e cuidados pós-operatório.

De acordo com Coordenadora de Programa do Brasil Fernanda Carbonari, o interesse em oferecer esse treinamento para os profissionais locais quanto à Operação Sorriso, é transmitir o conhecimento de como tratar as fissuras pros profissionais de Rondônia, podendo assim dar continuidade ao tratamento do paciente.

“A Secretaria Estadual de Saúde tem dado todo apoio a esse grupo, a essa equipe, tantos os profissionais que vem de fora do estado, voluntariamente uns e outros não, assim como o pessoal daqui.  O secretário Fernando Máximo tem se colocado total e completamente a disposição pra que se possamos incrementar essas ações, e mais e mais crianças possam ser operadas e terem realmente um sorriso no rosto.” disse a coordenadora do Núcleo de Fissurados de Rondônia (NUFIS) Enfª Maria José Micheletti.

O curso aconteceu no auditório do Hospital de Base em Porto Velho, durante um dia e meio. O tema foi “Multidisciplinar na Reabilitação Pediátrica a Portadores de Fenda Palatina e Labiolepurino” o publico alvo foi médicos (pediatras, Cirurgião Plástico), Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Fonoaudiólogos, Fisioterapeutas, Odontólogos e acadêmicos da área da saúde.  Ao todo 140 profissionais participaram do evento.

O curso foi ministrado pelos facilitadores, Isabel Lisboa, enfermeira do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRCA/Centrinho) de Bauru (SP) e voluntária da Operação Sorriso, Regianne Weitzberg, Fonoaudióloga do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus (SP) e voluntaria da Operação Sorriso, Tatiane Selbach, pediatra do Centrinho de Joinville (SC) e voluntária da Operação Sorriso.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia