Operação Lei Seca prende 17 condutores por embriaguez ao volante em Porto Velho

Operação foi realizada na Avenida Calama e Imigrantes. Condutores embriagados foram levados à Central de Polícia.

119

Durante blitzes da Operação Lei Seca realizadas nas Avenida Calama e Imigrantes, na madrugada deste domingo (20), em Porto Velho 17 pessoas foram presas por embriaguez ao volante. As ações são organizadas e realizadas pela Companhia Independente de Trânsito da Polícia Militar e pelo Departamento Estadual de Trânsito de Rondônia (Detran-RO).

Em um dos casos, por volta das 2h da madrugada deste domingo, na blitz da Avenida Calama, um bombeiro militar de 32 anos foi preso. Ele se submeteu ao teste do etilômetro (bafômetro) que acusou 0,39 miligrama de álcool por litro de ar expelido. O bombeiro pediu para repetir o teste e o resultado foi 0,75 miligrama de álcool por litro de ar expelido.Na mesma blitz, alguns minutos depois, foi presa uma enfermeira de 36 anos. Ela não realizou o teste de bafômetro, mas confirmou que tinha ingerido bebida alcoólica. Os policiais registraram um termo de constatação e levaram a enfermeira para a Central de Polícia.

Também na Avenida Calama, meia hora antes do caso da enfermeira, um empresário de 22 anos foi preso pelo mesmo crime. Ele realizou teste do bafômetro, que resultou 0,38 mg de álcool por litro de ar expelido. O empresário pediu um reteste e o novo exame acusou 0,4 mg de álcool por litro de ar. Além da embriaguez, ele estava com o documento do carro atrasado.

Lei Seca

É considerado crime quando o motorista é flagrado conduzindo veículos com índice de álcool no sangue superior a 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido ou 6 decigramas por litro de sangue. A pena de detenção pode variar de seis meses a três anos, multa e suspensão temporária da carteira de motorista ou proibição permanente de obter a habilitação. O Código de Trânsito Brasileiro estabelece multa de R$ 2.934,70, além de sete pontos na carteira. Os condutores também têm a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) apreendida. Se o motorista tiver cometido a mesma infração nos 12 meses anteriores, o valor da multa é dobrado.