Ano de 2016 já terminou para a Prefeitura de Porto Velho

165

lamacalPORTO VELHO – RONDÔNIA: – É incontável o número de obras da prefeitura que foram paralisadas pela administração municipal de Porto Velho, depois da derrota nas urnas do prefeito Mauro Nazif, na eleição do último dia 03 de outubro.

Iniciadas pouco antes do período eleitoral, obras de infraestrutura como abertura de ruas, cascalhamento, bloqueteamento e pavimentação asfáltica foram paralisadas tão logo o TRE anunciou o resultado da eleição e confirmou que Nazif estava fora do páreo.

A ordem na administração municipal é recolher o maquinário para o pátio e cortar todos os tipos de gastos para que se possa fechar as contas no final do ano, deixando para que o próximo prefeito termine as obras iniciadas.

Com chegada do período chuvoso na região, a preocupação da população é com a lama provocada pelas obras inacabadas. Na cidade e no interior do município, são diversas obras paralisadas e os moradores protestam contra o abandono.

De acordo com Secretaria de Obras de Porto Velho (Semob) a gestão atual não irá conseguir finalizar os trabalhos iniciados. As alegações vão desde a falta de combustível para abastecimento das máquinas até férias dos servidores da Secretaria. Também falta material de trabalho como manilhas, cimento, areia e brita.

Desde o início da semana vários protestos estão sendo realizados em Porto Velho. No Bairro Lagoinha os moradores bloquearam as avenidas Raimundo Cantuária e Alexandre Guimarães. Há manifestações também na Raimundo Cantuária, no Tancredo Neves. Moradores do Bairro Cohab, na Zona Sul de Porto também reclamaram de obras abandonadas.

No interior, União Bandeirantes, Lago Cuniã, São Carlos e Extrema, produtores rurais ficarão ilhados, sem poder escoar a produção e o transporte escolar será prejudicado se a prefeitura não voltar para terminar o serviço nas estradas.

Segundo o titular da Semob, Ricardo Fávaro, as obras foram paralisadas por porque a empresa contratada não conseguiu entregar as manilhas compradas pela secretaria.

A empresa que venceu a licitação da Prefeitura para fornecer as manilhas, não deu conta de entregar a quantidade necessária para atender a demanda dos bairros, e agora estamos contratando outra empresa para tentar resolver esse problema”, disse.

Para tentar minimizar a situação, a Prefeitura promete encaminhar equipes com maquinário até o final da próxima semana, para que seja feito o encascalhamento de algumas ruas, mas que as valas abertas continuarão da mesma forma até a próxima gestão assumir. Elas serão apenas sinalizadas.